• ÚLTIMAS...

    O QUE É O DOGMA 95?


    O QUE FOI...

    O Dogma 95 é um movimento cinematográfico internacional lançado a partir de um manifesto publicado em 13 de março de 1995 em Copenhague, na Dinamarca. Os autores foram os cineastas dinamarqueses, Thomas Vinterberg e Lars von Trier. Segundo o relato de Vinterberg, os dois levaram apenas 45 minutos para formular as regras. Elas foram apresentadas uma semana depois no Odéon - Théatre de L’Europe, em Paris, em 20 de março de 1995, onde von Trier foi chamado para celebrar o centenário do nascimento do Cinema.

    O MANIFESTO

    O Manifesto Dogma 95 foi escrito para a criação de um cinema mais realista e menos comercial. Posteriormente juntaram-se a eles dois conterrâneos, os também cineastas Søren Kragh-Jacobsen e Kristian Levring. Segundo os cineastas, trata-se de um ato de resgate do cinema como feito antes da exploração industrial (segundo o modelo de Hollywood). O manifesto tem cunho técnico — apresenta uma série de restrições quanto ao uso de técnicas e tecnologias nos filmes — e ético — com regras quanto ao conteúdo dos filmes e seus diretores —, e suas idéias são tão controversas quanto seus filmes.

    REGRAS

    As regras do Dogma 95, também conhecidas como “voto de castidade”, são:

    1. As filmagens devem ser feitas no local. Não podem ser usados acessórios ou cenografia (se a trama requer um acessório particular, deve-se escolher um ambiente externo onde ele se encontre).
    2. O som não deve jamais ser produzido separadamente da imagem ou vice-versa. (A música não poderá ser utilizada a menos que ressoe no local onde se filma a cena).
    3. A câmera deve ser usada na mão. São consentidos todos os movimentos - ou a imobilidade - devidos aos movimentos do corpo. (O filme não deve ser feito onde a câmera está colocada; são as tomadas que devem desenvolver-se onde o filme tem lugar).
    4. O filme deve ser em cores. Não se aceita nenhuma iluminação especial. (Se há muito pouca luz, a cena deve ser cortada, ou então, pode-se colocar uma única lâmpada sobre a câmera).
    5. São proibidos os truques fotográficos e filtros.
    6. O filme não deve conter nenhuma ação "superficial". (Homicídios, Armas, Sexo, etc. não podem ocorrer).
    7. São vetados os deslocamentos temporais ou geográficos. (O filme ocorre na época atual).
    8. São inaceitáveis os filmes de gênero.
    9. O filme final deve ser transferido para cópia em 35 mm, padrão, com formato de tela 4:3. Originalmente, o regulamento exigia que o filme deveria ser filmado em 35 mm, mas a regra foi abrandada para permitir a realização de produções de baixo orçamento.
    10. O nome do diretor não deve figurar nos créditos.

    Todos os filmes que recebem o reconhecimento do Dogma 95 seguem 10 regras estipuladas por Trier e Vinterberg. Para tanto, os realizadores devem enviar cópias de seus filmes à entidade que gerencia o Dogma 95 e submetê-los à avaliação. Caso aprovado e verificado que o voto de castidade foi cumprido, os autores recebem o Certificado Dogma 95.

    REGRAS ACRESCENTADAS POR LARS VON TRIER EM 2005:

    - A gravação deve ser feita em formato digital.
    - As filmagens devem ocorrer na Escócia.
    - As filmagens não podem ultrapassar o prazo de 6 semanas.
    - O custo total do filme não pode ultrapassar a quantia de um milhão de libras esterlinas.

    FILMES

    O primeiro filme lançado com o certificado de obediência ao voto de castidade foi Dogma # 1 – Festa de família (Festen, 1998), de Vinterberg, aclamado pela crítica, recebendo prêmios e indicações em festivais cinematográficos. Dono de uma companhia no subúrbio de Copenhague, a Zentropa Entertainment, Von Trier lançou o filme Dogma # 2 – Os idiotas (Idioterne, 1998), também agraciado com prêmios e indicações. Sendo os dois filmes que primeiro puseram em prática a ideologia dogmática e que lançaram-na como viável nos circuitos de filmes internacionais, tiveram seus custos de produção baixos (em torno de 1 milhão de dólares) e uma linguagem audiovisual rude. Os filmes têm cenas tão escuras que às vezes não se consegue distinguir o que está acontecendo. Em outras cenas, a câmera balança tanto que acaba deixando alguns espectadores enjoados. Também não há a preocupação com a qualidade do áudio. Todas essas características não seriam nem um pouco atraentes para um filme nos padrões comuns – mas só o enredo o tornaria ao menos intrigante.

    PRINCIPAIS DIRETORES

    Thomas Vinterberg , Lars Von Trier, Søren Kragh-Jacobsen, Anders Thomas Jensen, Kristian Levring, Jean-Marc Barr, Anthony Dod Mantle, Paprika Steen, Fran Ilich, Harmony Korine

    LISTA DE FILMES RECONHECIDOS

    A Dogma 95 possuía, até janeiro de 2005, 77 filmes reconhecidos. Ainda que tenham sido realizados poucos filmes depois, esta lista serve de pesquisa inicial para curiosos no formato.

    Dogma #1: Festen (Dinamarca)
    Dirigido por: Thomas Vinterberg
    Produzido por: Nimbus Film Productions

    Dogma #2: Idioterne (Dinamarca)
    Dirigido por: Lars von Trier
    Produzido por: Zentropa Entertainments

    Dogma #3: Mifunes Sidste Sang (Dinamarca)
    Dirigido por: Søren Kragh-Jacobsen
    Produzido por: Nimbus Film Productions

    Dogma #4: The King Is Alive (Dinamarca)
    Dirigido por: Kristian Levring
    Produzido por: Zentropa Entertainments

    Dogma #5: Lovers (França)
    Dirigido por: Jean-Marc Barr
    Produzido por: TF1 International

    Dogma #6: Julien Donkey-Boy (Estados Unidos)
    Dirigido por: Harmony Korine
    Produzido por: Independent Pictures

    Dogma #7: Interview (Coreia do Sul)
    Dirigido por: Daniel H. Byun
    Produzido por: Cine 2000 Production

    Dogma #8: Fuckland (Argentina)
    Dirigido por: Jose Luis Marques
    Produzido por: Atomic Films S.A.

    Dogma #9: Babylon (Suécia)
    Dirigido por: Vladan Zdravkovic
    Produzido por: AF&P, MH Company

    Dogma #10: Chetzemoka's Curse (Estados Unidos)
    Dirigido por: Rick Schmidt, Maya Berthoud, Morgan Schmidt-Feng, Dave Nold, Lawrence E. Pado, Marlon Schmidt e Chris Tow
    Produzido por: FW Productions

    Dogma #11: Diapason (Itália)
    Dirigido por: Antonio Domenici
    Produzido por: Flying Movies S.R.L.
    Co-produzido por: Minerva Pictures

    Dogma #12: Italiensk For Begyndere (Dinamarca)
    Dirigido por: Lone Scherfig
    Produzido por: Ib Tardini e Zentropa Entertainments

    Dogma #13: Amerikana (Estados Unidos)
    Dirigido por: James Merendino
    Produzido por: Gerhard Schmidt e Sisse Graum Olsen

    Dogma #14: Joy Ride (Suíça)
    Dirigido por: Martin Rengel
    Produzido por: ABRAKADABRA Films AG

    Dogma #15: Camera (Estados Unidos)
    Dirigido por: Rich Martini
    Produzido por: Rich Martini

    Dogma #16: Bad Actors (Estados Unidos)
    Dirigido por: Shaun Monson
    Produzido por: Nicole Visram

    Dogma #17: Reunion (Estados Unidos)
    Dirigido por: Leif Tilden
    Produzido por: Kimberly Shane O'Hara e Eric M. Klein

    Dogma #18: Et Rigtigt Menneske (Dinamarca)
    Dirigido por: Åke Sandgren
    Produzido por: Ib Tardini

    Dogma #19: Når Nettene Blir Lange (Noruega)
    Dirigido por: Mona J. Hoel
    Produzido por: Malte Forssell

    Dogma #20: Strass (Bélgica)
    Dirigido por: Vincent Lannoo
    Produzido por: Dadowsky Film

    Dogma #21: En Kærlighedshistorie (Dinamarca)
    Dirigido por: Ole Christian Madsen
    Produzido por: Bo Ehrhardt, Birgitte Hald and Morten Kaufmann

    Dogma #22: Era Outra Vez (Espanha)
    Dirigido por: Juan Pinzás
    Produzido por: Pilar Sueiro

    Dogma #23: Resin (Estados Unidos)
    Dirigido por: Vladimir Gyorski
    Produzido por: Steve Sobel

    Dogma #24: Security, Colorado (Estados Unidos)
    Dirigido por: Andrew Gillis
    Produzido por: Andrew Gillis

    Dogma #25: Converging With Angels (Estados Unidos)
    Dirigido por: Michael Sorenson
    Produzido por: Thomas Jamroz e Michael Sorenson

    Dogma #26: The Sparkle Room (Estados Unidos)
    Dirigido por: Alex McAulay
    Produzido por: Voltage

    Dogma #27: Come Now (Estados Unidos)

    Dogma #28: Elsker Dig For Evigt (Dinamarca)
    Dirigido por: Susanne Bier
    Produzido por: Vibeke Windeløv

    Dogma #29: The Bread Basket (Estados Unidos)
    Dirigido por: Matthew Biancniello
    Produzido por: My Way of The Highway Films

    Dogma #30: Dias de Boda (Espanha)
    Dirigido por: Juan Pinzas
    Produzido por: Atlantico Films

    Dogma #31: El Desenlace (Espanha)
    Dirigido por: Juan Pinzas
    Produzido por: Atlantico Films

    Dogma #32: Se Til Venstre, Der Er En Svensker (Dinamarca)
    Dirigido por: Natasha Arthy
    Produzido por: Nimbus Film Productions

    Dogma #33: Residencia (Chile)
    Dirigido por: Artemio Espinosa Mc.
    Produzido por: Nuevo-Extremo Cine TV Digital

    Dogma #34: Forbrydelser (Dinamarca)
    Dirigido por: Annette K. Olesen
    Produzido por: Ib Tardini

    Dogma #35: Cosi x Caso (Itália)
    Dirigido por: Cristiano Ceriello
    Produzido por: CinemaDistriBuzione.com and Cristiano Ceriello

    Dogma #36: Amateur Dramatics (Inglaterra/Dinamarca)
    Dirigido por: Uncredited (Anja Laumann)
    Produzido por: Anja Laumann, Donna Bowyer e Andy Hazard

    Dogma #37: Gypo (Reino Unido)
    Dirigido por: Jan Dunn
    Produzido por: Elaine Wickham

    Dogma #38: Mere Players (Estados Unidos)
    Dirigido por: Vaun Monroe
    Produzido por: Vaun Monroe

    Dogma #39: El Último Lector (México)
    Dirigido por: Sergio Marroquin
    Produzido por: Sergio Marrqouin

    Dogma #40: Lazy Sunday Afternoons (Inglaterra)
    Dirigido por: Joe Martin
    Produzido por: Joe Martin

    Dogma #41: Lonely Child (Canadá)
    Dirigido por: Pascal Robitaille
    Produzido por: Pascal Robitaille

    Dogma #42: DarshaN (Estados Unidos)
    Dirigido por: Travis Pearson
    Produzido por: Rammon Pearson

    Dogma #43: 11:09 (Estados Unidos)
    Dirigido por: Adam Wolf
    Produzido por: Adam Wolf, Raymond Surbaugh, Armando Noriega II, C

    Dogma #44: Vince Conway (Inglaterra)
    Dirigido por: Matthew Pattison
    Produzido por: Matthew Pattison

    Dogma #45: Regret Regrets (Estados Unidos)
    Dirigido por: Taylor Hayden
    Produzido por: Taylor Hayden

    Dogma #46: Perspective (Inglaterra)
    Dirigido por: Luca Salvatori
    Produzido por: Stuart Bell

    Dogma #47: Godinne Van Die Grondpad (África do Sul)
    Dirigido por: Pieter Lombaard
    Produzido por: Binary Film Works

    Dogma #48: Gilles Sucks (Luxemburgo)
    Dirigido por: Michelle
    Produzido por: Hamesen hieren

    Dogma #49: Michelle, Gilles, Kim (Luxemburgo)
    Dirigido por: Michelle
    Produzido por: Gilles

    Dogma Dogma #50: Autobahne (Turquia)
    Dirigido por: Levent Türkan
    Produzido por: Ibrahim Türkan

    Dogma #51: A Cool Day in August (Estados Unidos)
    Dirigido por: Christopher J. Rizzo
    Produzido por: Christopher J. Rizzo

    Dogma #52: Shaolin Warrior (Estados Unidos)
    Dirigido por: Rob Sylvester
    Produzido por: Kabil Seesan

    Dogma #53: Chip Off The Ol' Blockbuster (Estados Unidos)
    Dirigido por: Alex Palmer
    Produzido por: Nick Palmer

    Dogma #54: Et Rigtigt Menneske (Dinamarca)
    Dirigido por: Åke Sandgren
    Produzido por: Zentropa Entertainment

    Dogma #55: Picnic and a Stroll (Estados Unidos)
    Dirigido por: Garrett DeHart
    Produzido por: Garrett DeHart

    Dogma #56: To Be Announced (TBA) (Austrália)
    Dirigido por: TBA
    Produzido por: TBA

    Dogma #57: Bugbusters (Alemanha)
    Dirigido por: Matthias Roeder
    Produzido por: Christian Staudte

    Dogma #58: Carpe Diem (Austrália)
    Dirigido por: Marcus Roberts
    Produzido por: Marcus Roberts

    Dogma #59: Colori (Itália)
    Dirigido por: Cristiano Ceriello
    Produzido por: Cinema Distribuzione e Cristiano Ceriello

    Dogma #60: D. (Itália)
    Dirigido por: Cristiano Ceriello
    Produzido por: Cinema Distribuzione e Cristiano Ceriello

    Dogma #61: Evoque - Reality Show (Itália)
    Dirigido por: Mauro John Capece
    Produzido por: Evoque - Officina d'Arte

    Dogma #62: A Promise (Estados Unidos)
    Dirigido por: Corey Smith
    Produzido por: Corey Smith Film Productions

    Dogma #63: Abortion (Estados Unidos)
    Dirigido por: Rob Sylvester
    Produzido por: Brandon Sylvester e Kabil Seesan

    Dogma #64: Water Wine (Canadá)
    Dirigido por: Brendan P. Frye
    Produzido por: Brendan P. Frye

    Dogma #65: The Smokestack Wager (Canadá)
    Dirigido por: Tony Hinds
    Produzido por: Tony Hinds e Kyle Milroy

    Dogma #66: Work All Day (Canadá)
    Dirigido por: Wilson Reddington
    Produzido por: Jay Ross

    Dogma #67: Premier (Hungria)
    Dirigido por: Tamás Dömötör
    Produzido por: László Pavelkovits

    Dogma #68: DOGumentario ITALIA (Itália)
    Dirigido por: Cristiano Ceriello
    Produzido por: Cristiano Ceriello e Cinema Distribuzione

    Dogma #69: Tenderete (Espanha)
    Dirigido por: Carlos Morales
    Produzido por: Carlos Morales

    Dogma #70: Funerale di Famiglia (Itália)
    Dirigido por: Cristiano Ceriello
    Produzido por: Cinema Distribuzione e Cristiano Ceriello

    Dogma #71: Beauty and The Hitman (Dinamarca)
    Dirigido por: Allan Jensen
    Produzido por: Allan Jensen

    Dogma #72: Heaven and... (Dinamarca)
    Dirigido por: Allan Jensen
    Produzido por: Allan Jensen

    Dogma #73: Does it Hurt? (Macedônia)
    Dirigido por: Aneta Lesnikovska
    Produzido por: Aneta Lesnikovska

    Dogma #74: Frankie (Inglaterra)
    Dirigido por: Christopher Platt e Jack Henderson
    Produzido por: Christopher Platt e Jack Henderson

    Dogma #75: The Oompoulous Adventures of Fratases Cubilotes (Espanha)
    Dirigido por: Richard K. Parker
    Produzido por: Richard K Parker / Mir de Tost

    Dogma #76: Los Perritos (México)
    Dirigido por: Miguel Hidalgo
    Produzido por: Francisco Blanco

    Dogma #77: R.U.M.B.A (Colômbia)
    Dirigido por: Sebastian Hinestrosa
    Produzido por: Andres Gallego

    Dogma #78: Velório em Família (Brasil)
    Dirigido por: Rosario Boyer
    Produzido por: Rosario Boyer


    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top