• ÚLTIMAS...

    segunda-feira, 24 de agosto de 2015

    FEAR THE WALKING DEAD


    ACOMPANHE AQUI, TODA SEGUNDA DE MANHÃ COM LEGENDAS OPCIONAIS

    ESTREIA MUNDIAL SIMULTÂNEA: 23 de Agosto às 22h

    “Fear the Walking Dead” nos leva ao começo do apocalipse zumbi: uma época na qual o mundo estava mudando rapidamente devido a causas ainda desconhecidas; antes de que alguém pudesse entender exatamente o que estava acontecendo.  Uma época na qual a existência, como todos a conheciam, se transformou e alterou de forma nunca antes imaginada. Os desafios à vencer são imensos,  diante um espetáculo demencial de uma civilização que desmorona. “Fear the Walking Dead” é a travessia que documenta o fim dos tempos, dramatizando a temível desintegração da sociedade através dos olhos de uma família tanto disfuncional, como unida.

     TRAILER OFICIAL

    Ambientada em Los Angeles e focada nos novos personagens e narrativos, “Fear the Walking Dead” é estrelada por Kim Dickens (Gone Girl, “Sons of Anarchy”) fazendo o papel da Madison; Cliff Curtis (“Missing”, “Gang Related”) como Travis; Frank Dillane (Harry Potter and the Half-Blood Prince) como Nick, y Alycia Debman-Carey (Into the Storm) como Alicia.  Otros personagens com presença frequente no show, são Elizabeth Rodriguez (“Orange is the New Black”) fazendo o papel de Liza, Lorenzo Jame Henrie (Star Treck) como Chris; Ruben Blades (Safe House) como Daniel, e Mercedes Mason (Quarantine 2: Terminal) como Ofelia.


    PILOTO - 01:01 - DATA DE EXIBIÇÃO (23/08/2015)

    Fear The Walking Dead tem sido anunciado pelos produtores como uma nova série passada no universo criado por Robert Kirkman e não como um mero um spin-off da série principal.
    Mesmo assim, uma das maiores jogadas do primeiro episódio é explorar a pré-ciência do telespectador de que a sociedade está prestes a ruir. Nos primeiros dias tudo continua aparentemente normal. Todos estão levando suas vidas e planejando o futuro, porém já sabemos de antemão que nada daquilo irá acontecer. Ninguém irá para faculdade, ninguém terá uma carreira e nem sair de casa (pelo menos não da forma como estão pensando).Estes prenúncios são realmente interessantes, no entanto em alguns momentos parecem um pouco forçados e em certas cenas dão mais uma sensação de obviedade do que de melancolia. 
    Vide, por exemplo, a aula de Travis sobre o conto To Build A Fire, de Jack London, que remete um pouco ao obrigatório discurso-clichê de filmes catástrofes no qual um cientista discorre sobre algum conceito relacionado à arrogância da humanidade ou à supremacia da natureza.
    Conforme dito pelos produtores, a nova série realmente não dá explicações sobre o início da infestação zumbi, se focando na reação das pessoas durante os primeiros dias do apocalipse. O primeiro episódio não mostra Los Angeles mergulhada no caos propriamente dito, afinal, são os primeiros momentos do apocalipse. Mas há certo frescor ao vermos uma história situada em ambiente urbano após cinco temporadas de Rick e companhia habitando áreas mais campestres e remotas. Como esperado, aqueles que se mostram mais alarmistas são desacreditados, tal como o estudante Tobias que parece já estar se preparando para tempos difíceis, ou Nick, filho de Madison viciado em heroína que não é levado a sério devido ao seu problema com drogas. 
    Porém, conforme o episódio se desenvolve, a atmosfera de Los Angeles vai gradativamente se alterando, deixando os personagens principais mais alertas com o número cada vez menor de estudantes indo para a escola, o crescente som de helicópteros sobrevoando a cidade, as pessoas desaparecidas e vídeos virais. Ao final do primeiro episódio, a sociedade ainda estará de pé, mas agora os protagonistas definitivamente estarão convencidos que há algo muito sério acontecendo.
    Fear tem ótimos elementos de suspense, porém seu andamento é às vezes lento. Leva-se um tempo para introduzir os personagens e encaminhar o enredo. Isso é o esperado em novas séries, porém algumas sequências são desnecessariamente longas, dando ao episódio um ritmo arrastado em diversos momentos. Boa parte do tempo é usado para estabelecer a dinâmica das famílias disfuncionais de Travis e Madison, porém sem adicionar nada original ou particularmente interessante sobre este tema tão explorado, a não ser o iminente apocalipse. Como não poderia deixar de ser, a principal diferença entre os personagens de Fear e os da série principal é que Madison, Travis e os demais não são nada parecidos com os sobreviventes do grupo de Rick, pois ainda estão tentando assimilar o que está acontecendo.


    Fear The Walking Dead conta com boas interpretações. A personagem de Kim Dickens (Madison) é competente e determinada, enquanto Cliff Curtis (Travis) tem uma função conciliador e empático. Os dois têm uma boa química e apresentam potencial  para formarem um ótimo time nos tempos difíceis que estão por vir, bem diferente da incompatibilidade de Rick e Lori na série original. Frank Dillane (Nick), Alycia Debnam-Carey (Alicia) e Lorenzo James Henrie (Chris) são competentes em seus papeis de filhos problemáticos. Adolescentes são frequentemente retratados como mimados, arrogantes e irritantes em dramas familiares e não é diferente com os três, especialmente Alicia e Chris.
    As condições insalubres as quais Nick se habitua devido ao seu vício talvez o tornem mais apto para sobreviver ao apocalipse em um ambiente urbano. Além disso, o personagem já demonstra que é capaz de fazer o necessário para se defender e ainda preserva em si certa sensibilidade. Será que teremos outra história de redenção de personagem como a de Daryl Dixon em The Walking Dead?
    Apesar de não ter o mesmo impacto da série original e talvez  nem o apelo para atrair uma nova audiência, Fear The Walking Dead tem bastante potencial a ser explorado, especialmente na transição da fase de negação e esperança para aceitação e luta pela sobrevivência, a qual foi abordada muito brevemente durante a primeira temporada da série original. 
    Fear The Walking Dead é muito bem vindo para fãs de The Walking Dead que estão ávidos por novas histórias, principalmente por começar mostrando o período em que Rick esteve em coma.




    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top