• ÚLTIMAS...

    segunda-feira, 22 de junho de 2015

    VAMPIROS NO CINEMA - PELA VERSÁTIL

    Tenho uma grande experiência com filmes. Eu era aquele cara que ia de bicicleta nos bairros mais afastados, só para fazer ficha numa locadora e alugar um único filme, que só tinha lá.
    Conheço bem, tudo desde o VHS, e tudo que é lançado.

    Portanto, posso afirmar, sem a menor dúvida: A distribuidora Versátil é a síntese de como o mercado de distribuição de filmes deveria tratar seu consumidor final.

    Tudo é superlativo. Desde os filmes que falam por si à apresentação, passando pelo valor cobrado consideravelmente baixo pelo material que será adquirido (geralmente 49,90 por um box com 4 filmes, e 69,90 por um com 6.). Há ainda os cards colecionáveis  (ao lado) que são limitados. Sempre muito lindos, refletindo a paixão de quem faz estes produtos.

    Antes de assistir aos filmes, você pode facilmente perder um tempo admirando o trabalho artístico do box. Trabalho ímpar, mais uma vez do curador Fernando Brito, que além de tudo é gentil em me mandar os filmes. Ele e a Versátil merecem total reconhecimento pelo grande trabalho que vem sendo feito há anos

    A seguir os filmes:

    “Nosferatu” 

    (“Nosferatu, eine Symphonie des Grauens”, 1922, 96 min.)

    De F. W. Murnau. Com Max Schreck, Greta Schröder

    Há muitos anos não assistia o filme. Quase um pecado por ser um dos maiores filmes do cinema. E assistindo a esta cópia restaurada, o filme cresce ainda mais. Murnau, que fez poucos filmes e morreu num acidente de carro, realizou este filme adaptado do romance Drácula, de Bram Stoker, embora com nomes de personagens e lugares sofrendo alterações, pois os herdeiros do escritor não concederam aos produtores autorização para adaptar a obra. Processado por violação de direitos autorais, a justiça ordenou a destruição das cópias do filme, mas algumas delas, entre as muitas já distribuídas, permaneceram guardadas até a morte da viúva de Bram Stoker e estão hoje em dia disponíveis em versões restauradas.
    O longa narra a história de Conde Orlok, um vampiro dos Montes Cárpatos que se apaixona perdidamente por Ellen e traz o terror à cidade dela, Wisborg. Nosferatu é considerado um dos primeiros representantes do gênero de terror no cinema, além de sua concepção visual ter exercido forte influência no gênero.


    “Cronos”

    (“Cronos", 1993, 92 min..)

    De Guillermo Del Toro. Com Federico Luppi, Ron Perlman e Claudio Brook.

    Del Toro é um dos diretores que mais flertam com a originalidade. Fez as obras primas Cronos, Espinha do diabo e Labirinto do Fauno. Seu cinema fantástico é de encher os olhos.
    Seu mais recente filme, Círculo de fogo, é uma superprodução ao estilo Godzilla, que supera inclusive a maioria dos filmes da série japonesa.

    No filme. um alquimista cria um dispositivo chamado Cronos que proporciona vida eterna, mas após 400 anos ele morre em um acidente e o dispositivo desaparece sendo encontrado muitos anos depois por Jesus Gris  (Federico Luppi), que não tem noção do que o aparelho é capaz de fazer, entretanto há outras pessoas que sabem e também estão atrás do Cronos.

    Cronos é um filme de vampiro mostrado de uma forma incomum onde o expectador acaba demorando a entender que se trata de um filme de vampiros. Os elementos de um filme do gênero estão presentes com a sede por sangue, a imortalidade, problemas com o  sol, até o caixão para dormir e ainda assim não parece um filme de vampiro. Os caninos pontiagudos foram deixados de lado, o que causa um desvio na sua percepção.
    O diretor Guillermo Del Toro faz uma aparição no começo do filme passeando com a esposa e um cachorro em frente a um loja.
    Como curiosidade, os aparelhos cronos feitos para o filme foram todos roubados assim que a produção terminou e nunca foram recuperados. O aparelho que o diretor possui hoje em dia é uma replica.
    Tiro certeiro de Del Toro e da Versátil.


    “Quando chega a escuridão”

     (“Near Dark”, 1987, 94 min.)

    De Kathryn Bigelow . Com  Adrian Pasdar, Jenny Wright, Lance Henriksen


    Comecei assistir à caixa por esta pequena obra prima dos anos 80. A diretora fez dois filmes populares (este e Caçadores de emoção, que ganha remake este ano inclusive) e dois filmes reconhecidos (Guerra do terror , que venceu o Oscar, e A hora mais escura, que concorreu). Assistir a ele foi fantástico, pois na última experiência, vi um filme escuro, com uma imagem horrível, em VHS.

    O filme é sobre o jovem fazendeiro Caleb Colton que conhece Mae, e juntos embarcam numa perigosa aventura. Seus companheiros - Jesse, Severen, Damondback, Homer - formam um grupo de errantes noturnos que semeiam terror e morte em suas investidas à procura de sangue.

    O filme conta com um elenco bacana. Bill foi o rei da bilheteria nos anos 90. Esteve em Titanic, Twister, True Lies, Apollo 13 e Tombstone. Aliás, ele ainda é pois está em Avatar também. Lance ficou marcado como o androide de Aliens - o resgate e a série Millenium. Adrian Pasdar fez a série Heroes posteriormente. A linda Jenny Wright fez um papel marcante em Jovem demais para morrer, onde ela faz uma prostituta, que aliás protagoniza uma cena de nu famosa (deixando o saloon, andando pela rua e subindo no cavalo). Há ainda Tim Thomerson, o eterno Trancers, como pai do protagonista.
    É um filme que tem que ser conferido.



    “Noite dos demônios” 

    (“La notte dei diavoli”, 1972, 91 min.)

    De Giorgio Ferroni. Com   Gianni Garko, Agostina Belli, Roberto Maldera

    Talvez o filme mais incomum da caixa. O ótimo diretor (que publiquei recentemente sua Filmografia - Veja aqui). Não confundir com A NOITE DOS MIL DEMÔNIOS, do mesmo ano. Esta é a obra prima do diretor Ferroni, que fez filmes marcantes como "Dólar furado" e o Moinho das mulheres de pedra.

    O lançamento do filme causou alvoroço nas redes sociais, O filme é baseado no mesmo conto de Aleksei Tolstoi Konstantinovich que deu origem a um dos contos de "As três máscaras do terror (1963), de Mario Bava".

    Os efeitos especiais são de Carlo Rambaldi, que dentre tantos trabalhos, fez Contatos imediatos de 3º grau, E.T. o extra terrestre, Duna e Alien - o 8º Passageiro. A trilha sonora de Giorgio Gaslini é muito parecida em momentos com Ennio Morricone, principalmente com a trilha do filme "Quando explode a vingança."

    A história gira em torno de um homem que relembra o encontro com uma família amaldiçoada, criaturas meio  zumbis e meio vampiros, enquanto ele está internado em um hospício devido aos incidentes acontecidos.




    Marcus V.R.Pacheco
    Cinéfilo, colecionador e ocupado vendo filme


    DADOS TÉCNICOS DOS DISCOS


    Disco 1
    Nosferatu (Nosferatu, eine Symphonie des Grauens, 1922, 96 min.) De F. W. Murnau. Com Max Schreck, Greta Schröder.
    Cronos (Cronos, 1993, 92 min.) De Guillermo Del Toro. Com Federico Luppi, Ron Perlman e Claudio Brook.

    Disco 2
    Quando Chega A Escuridão (Near Dark, 1987, 94 min.) De Kathryn Bigelow. Com Jenny Wright, Lance Henriksen e Bill Paxton.
    A Noite dos Demônios (La Notte dei Diavoli, 1972, 93 min.) De Giorgio Ferroni. Com Gianni Garko e Agostina Belli.

    Extras:

    Documentário “Nosferatu: a Linguagem das Sombras” (53 min.)
    Trailers (5 min.)
    Cena excluída de “Quando Chega a Escuridão” (2 min.)
    Making of de “Quando Chega a Escuridão” (47 min.)
    Depoimento de Guillermo Del Toro (17 min.)




    Todos em aspecto de tela widescreen anamórfico 1.85:1, com trilhas de áudio em italiano e inglês (ambas Dolby Digital 2.0) e legendas em português.


    As edições foram lançadas em  12 de maio de 2015.

    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top