• ÚLTIMAS...

    MORRE CLAUDIO CUNHA


    Cunha entrou para o Guinness Book em 1998 por ter ficado durante 30 anos em cartaz com o espetáculo "O analista de Bagé"

    O ator, que foi casado com Simone Carvalho e Edna Velho, produziu com recursos próprios, 13 filmes e mais de 30 peças. "Amada amante", com Sandra Brea e Luiz Gustavo, é um de seus filmes mais famosos.

    Depois do sucesso de O Analista e a Sexóloga de Bagé, Claudio Cunha estava encenando a comédia A Casa Caiu, com Alexandra Dias.

    Cláudio Francisco Cunha (São Paulo, 29 de julho de 1946 — Porto Alegre, 20 de abril de 2015) foi um ator e produtor cultural brasileiro. Primeiro no Cinema, onde produziu 13 longas metragens e uma dezena de curtas na década de 70 e a partir dos anos oitenta no Teatro, voltando as suas origens de ator na pele do Analista de Bagé, inspirado inicialmente no sucesso literário de Luis Fernando Veríssimo, o personagem acabou virando o alter ego do interprete. Segundo o próprio Claudio Cunha, seu "veiculo" de humor. Na pele do "Machão Gaucho", ele fez rir mais de 2 milhões de espectadores nos palcos de todo o Brasil. Apresentando-se tanto nos melhores teatros, como improvisando espaços, levando teatro para cidades que nunca viram teatro. Nas folgas com o Analista, produziu vários outros espetáculos, seguindo sempre a máxima de Brechet: "a melhor função do teatro é divertir". Em 1998, as varias versões do Analista de Bagé, apareciam no Guinness Book, com dois recordes nacionais: a peça há mais tempo em cartaz e Cunha como o ator há mais tempo num mesmo personagem. 

    No Cinema seus grandes destaques foram "Amada Amante", onde foram computados cerca de três milhões de espectadores, "Vítimas do Prazer", objeto de estudos em vários países e o polemico Oh! Rebuceteio, onde também é o protagonista, o desvairado Nenê Garcia. Cunha teve uma boa infância, foi seminarista na Escola Apostólica Santa Terezinha em São Roque (SP), onde chegou a usar batina. Faleceu no dia 20 de abril de 2015 em decorrência de um infarto.

    FILMOGRAFIA

    Como diretor
    1984 - Oh! Rebuceteio
    1981 - Profissão Mulher
    1980 - O Gosto do Pecado
    1979 - Sábado Alucinante
    1978 - Amada Amante
    1977 - Snuff, Vítimas do Prazer
    1975 - O Dia em que o Santo Pecou
    1974 - O Clube das Infiéis

    Como ator

    1984 - Oh! Rebuceteio (de Cláudio Cunha)
    1981 - Karina, Objeto do Prazer (de Jean Garret)
    1979 - A Dama da Zona (de Ody Fraga)
    1978 - Amada Amante (de Cláudio Cunha)
    1978 - Damas do Prazer (de Antônio Meliande)
    1977 - A Praia do Pecado (de Roberto Mauro, como ator convidado)
    1977 - Snuff, Vítimas do Prazer (de Cláudio Cunha)
    1974 - O Clube dos Infiéis (de Cláudio Cunha)
    1974 - O Poderoso Machão (de Roberto Mauro)
    1973 - Sob o Domínio do Sexo (de Tony Vieira)
    1972 - As Mulheres Amam por Conveniência (de Roberto Mauro)

    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top