• ÚLTIMAS...

    terça-feira, 13 de janeiro de 2015

    JEAN-PIERRE. MELVILLE (20/10/1917 - 02/10/1973) - BIOGRAFIA


    Jean-Pierre Melville, nascido Jean-Pierre Grumbach (Paris, 20 de outubro de 1917 / Paris, 2 de agosto de 1973) foi um realizador, produtor, ator e argumentista francês, grande apreciador do filme noir americano dos anos quarenta e autor de alguns conhecidos filmes policiais, interpretados por atores como Alain Delon, Jean-Paul Belmondo ou Lino Ventura.

    BASTIDORES DE "O CIRCULO VERMELHO"
    O nome "Melville" não é  associado imediatamente com  filme. Ele evoca imagens de baleias brancas e capitães caçando-as ..ou seja Herman Melville. E ainda, por mais de três décadas, foi também usado por um das mais brilhantes luzes do cinema francês, Jean-Pierre Melville, cuja arte foi tão revolucionária como o autor homônimo. 

    Jean-Pierre Grumbach nasceu em 20 de outubro de 1917, de uma família de judeus da Alsácia. Em sua juventude, estudou em Paris, onde ele conheceu  grandes filmes e diretores, entre eles Robert J. Flaherty  e W.S. Van Dyke do documentário  Deus Branco (1928). Deixou uma marca tão profunda sobre  Grumbach tornou-se um regular no cinema, uma obsessão que iria beneficiá-lo na idade adulta. Fez algumas filmagens em 16mm com uma câmera  dada a ele por seu pai neste período.

    BASTIDORES DE "O CIRCULO VERMELHO"
    Em 1937, no entanto, sua carreira parou quando ele começou o serviço obrigatório no exército francês. Ele ainda usava o uniforme, quando os nazistas invadiram em 1940; sob nome de guerra de Melville, ele ajudou a resistência e eventualmente foi forçado a fugir para a Inglaterra. Lá ele se juntou às forças e tomou parte na libertação dos aliados da Europa continental. Depois da guerra, apesar de um desejo de reverter o nome Grumbach, ele percebeu que pseudônimo tinha pegado.

    Ansioso para ganhar seu lugar na indústria do cinema, Melville tentou a União dos técnicos  franceses, mas foi negada a filiação. Destemido, começou a distribuir filmes fora do sistema. O primeiro, um baixo-orçamento curto intitulado 24 horas na Vida de um Palhaço (1946), foi um sucesso, inspirado pelo seu amor de infância no circo. Sua estréia em longa-metragem, Le silence de la mer (1949), foi altamente inovador. Uma perola sobre os horrores da segunda guerra mundial, estrelada por atores desconhecidos. Sua programação era incomum: foi filmado durante 27 dias no decorrer de um ano. Sua produção foi incomum: incorporou cenas "no local"..--raridades naquela época..--feito sem autorizações. 

    O EXÉRCITO DAS SOMBRAS
    Nos 12 anos seguintes Melville continuou a criar filmes que viria a influenciar os autores da Nouvelle Vague .Foi seu estilo pessoal e sua adesão ao código de honra que definiu um "cara legal";  e foi sua fé em outros que foi sua ruína. É um universo sem a possibilidade de salvação, em que amor e amizade são breves interlúdios em jogos de gato e rato que levam à destruição certa. Nesse sentido, o Bob é um elo crucial entre Julien Duvivier , O Demônio da Algéria (1937) e de Godard, Acossado (1960), em que Melville deu um desempenho brilhante.

    Jean-Pierre Melville é frequentemente considerado como o padrinho da Nouvelle Vague. No entanto, vale mencionar que se não fosse por sua paixão pelo filme americano, ele poderia nos mostrar um muito diferente "Bob le flambeur". Originalmente concebido como um filme de gangster feito num passo a passo, Melville foi forçado a repensar sua narrativa, depois de assistir o notavelmente semelhante O Segredo das Jóias (1950). Foi só então que ele tinha a ideia de transformar  Bob na comédia de costumes que muito encantou os cinéfilos. 

    Na força de sua recepção favorável, Melville lançou quatro filmes consecutivos de polícias e ladrões É banal dizer que um determinado artista  "não é para todos." No caso de Melville, esta declaração não poderia ser mais apropriado. Apesar de uma barriga redonda e uma cara atraente, era um notório mulherengo, e seu chauvinismo é dolorosamente óbvio em seus filmes.As mulheres são desprovidas de nobreza, funcionando apenas como peças de xadrez. Seus homens também faltam profundidade espiritual. 

    Críticos olham para ele como uma espécie de figura de Moises, ajudando a guiar a Nouvelle Vague para a terra prometida sem co-participação em seus frutos. Na sua morte por ataque cardíaco, em 1973, aos 55 anos de idade tinham dirigido apenas 14 projetos, pelo menos, seis dos quais é reconhecido como clássicos. Além de Godard e Truffaut,  John Woo , Quentin Tarantino , Michael Mann , Volker Schlöndorff , Johnnie To e Martin Scorsese aponta-o como uma influência fundamental. Se o legado de um homem é medido melhor não só pela sua qualidade, mas também pelo respeito de seus colegas, a contribuição de Jean-Pierre Melville ao cinema certamente o classifica como  maior. 

    Tradução : Marcus Vinícius Pacheco
    Revisão: Leandra Marinho

    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top