• ÚLTIMAS...

    domingo, 30 de novembro de 2014

    CORAÇÕES DE FERRO (2014) - CRÍTICA


    FICHA TÉCNICA

    Direção: David Ayer
    Roteiro: David Ayer
    Elenco: Brad Pitt, Christopher Maleki, Edin Gali, Jon Bernthal, Kevin Strom, Logan Lerman, Scott Eastwood, Shia LaBeouf, Xavier Samuel
    Produção: Bill Block, David Ayer, Ethan Smith, John Lesher
    Fotografia: Roman Vasyanov
    Montador: Dody Dorn
    Trilha Sonora: Steven Price


    SINOPSE

    O filme se passa em abril de 1945. Enquanto os Aliados fazem sua incursão final na guerra pela Europa, um sargento do exército endurecido pela guerra chamado Wardaddy (Brad Pitt) é responsável pelo comando de um tanque Sherman e uma equipe com cinco homens em uma missão mortal atrás das linhas inimigas.Em menor número, com pouco armamento, e lidando com um soldado novato em seu esquadrão, Wardaddy e seus homens encaram inúmeras adversidades em suas tentativas heróicas de atacar o coração da Alemanha nazista. Corações de Ferro conta ainda com os atores Shia LaBeouf (Transformers), Logan Lerman (Percy Jackson), Jon Bernthal (The Walking Dead) e Michael Peña (Marcados para Morrer) no elenco. O longa chegou aos cinemas americanos no dia 17 de outubro, e tem previsão de lançamento para 05 de fevereiro de 2015 no Brasil. No exterior, o filme tem recebido, em geral, críticas positivas e elogiosas, mas sempre tem quem não goste de uma produção.

    O QUE EU VI DO QUE EU VÍ

    Fico pensando se há dez anos eu falaria bem de um filme de um belo modelo, e ator esforçado (ainda que ruim). Mas cinéfilo tem que ter cabeça aberta. Este ano assistí um dos melhores filmes do ano com ...Ben Affleck. Difícil imaginar. Assim sendo, Brad Pitt mudou o rumo de sua carreira. Com grandes filmes no currículo, grandes interpretações atuando sob o comando de grandes diretores. Se observarem bem, Tom Cruise, um ator carismático, mas que não se reinventou, continua fazendo bons filmes, mas nada além. 
    Mas vamos ao filme. 
    O que eu vi do que eu vi...
    Ví um filme sincero. Atores atuando em papéis que pareciam saber seu destino.
    Ví o filme de guerra mais marcante desde a trinca "Soldado Ryan - Pianista - Alem da linha vermelha", sem contar O Bastardos Inglórios que é mais um filme de Tarantino que de guerra. (Não menos genial).
    Ví um Brad Pitt pronto para qualquer papel.
    Ví um filme sobre a Batalha no Bulge que desde 1965 eu não assistia um filme marcante sobre o tema. Para quem não lembra, é a tal batalha em que os tanques alemães tinham uma superioridade em tamanho e força.
    Recomendadíssimo aos fãs de Segunda Guerra. Bem feito, triste, emocionante na medida certa.
    Ficam as palavras clássicas: "O horror, o horror". E aqui, num realismo incrível.



    Críticas de críticos americanos na Premiere

    “Corações de Ferro se esforça para ser um grande filme, mas nunca chega lá”. (Cath Clarke, da
    Time Out New York)
    “Corações de Ferro é um bom e consistente filme da Segunda Guerra Mundial, nada mais, nada menos”. (Todd McCarthy, do The Hollywood Reporter)
    “Nunca escala as alturas cinematográficas ou atinge o mesmo nível inovador de O Resgate do Soldado Ryan, mas é intensamente feroz e implacável aos sentidos. Você sabe que você foi para a guerra, e não para a linha de frente de Hollywood”. (Rex Reed, do New York Observer)
    “Corações de Ferro é sobre a névoa da guerra. E também a lama. A sujeira. O sangue. A escuridão e a luz. E o barulho. Sempre o barulho”. (Stephen Whitty, do Newark Star-Ledger)
    “O que torna este filme distinto é a maneira hábil como ele subverte e aumenta as nossas expectativas, implantando uma sensibilidade completamente moderna em um material basicamente tradicional”. (Kenneth Turan, do Los Angeles Times)
    “É fácil ver o filme como uma história de como a guerra transforma homens em monstros. Mas ele é bem mais complicado do que isso”. (Michael O'Sullivan, do The Washington Post)
    “Brad Pitt interpreta uma versão diluída do seu personagem em Bastardos Inglórios neste decepcionante olhar para uma tripulação de tanque da Segunda Guerra Mundial”. (Peter Debruge, da Variety)
    “Pitt está no seu melhor, interpretando um homem que esqueceu tudo que ele costumava ser, e que assumiu o seu papel nesta guerra”. (Richard Roeper, do Chicago Sun-Times)

    “Escrito e dirigido com muita habilidade e coração por David Ayer, Corações de Ferro capta os sentimentos enterrados de homens em combate com pungente imediatismo”. (Peter Travers, da Rolling Stone)
    “Corações de Ferro quer nos levar a uma nova análise da ‘boa guerra’ ao comemorar simultaneamente as velhas amizades entre homens e os clichês. Não é de admirar que ele dá um tiro em si mesmo dentro do tanque”. (Ty Burr, do Boston Globe)
    “Se filmes memoráveis de guerra ​​significam alguma coisa para você, abra o livro em uma nova página e adicione Corações de Ferro à lista. É lá que ele pertence”. (Kenneth Turan, do Los Angeles Times)
    “A atenção aos detalhes dá a Corações de Ferro peso e valor, assim como a atuação sólida dos atores, mas Ayer parece perder a sua determinação em duas cenas que parecem saídas de um episódio do Sargento Fury, da Marvel Comics, ou talvez de uma reescrita de roteiro por Hollywood”. (Peter Howell, do Toronto Star)



    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top